| Sobrevivência da Alma |

 

[ Retornar ]

 

 

Sobrevivência

 

 É uma verdade quase geralmente aceita em Filosofia, assim como incontestada e incontestável em Parapsicologia, que o homem tem uma faculdade espiritual (alma) -a famosa faculdade Psi-Gamma ou Percepção Extra-Sensorial.

 A partir deste dado, o tema central e que deu origem à Parapsicologia, o estudo da sobrevivência recebe uma confirmação lógica: Uma potência espiritual (alma) não pode destruir-se, corromper-se, deteriorizar-se, dividir-se, desgastar-se...

 A alma espiritual só deixaria de ser eterna se fosse aniquilada. Mas para aniquilar, é preciso o mesmo poder como para criar. Criar é fazer algo do nada, e aniquilar é fazer de algo, nada. A mesma potência em sentido inverso.

 Um poder finito pode modificar, transformar, dividir, desagregar, analisar, etc mas não criar nem aniquilar. Só um poder infinito pode criar e só um poder infinito poderia aniquilar : e esse poder é DEUS.

 Ora, se Deus pretendesse aniquilar a alma, naturalmente eterna por ser espiritual, estaria desrespeitando a essência espiritual dela. Implicaria uma desordem, uma imperfeição, um "pecado" contra a natureza ou essência da alma.

 Deus não seria perfeito. Se imperfeito, não seria infinito. Se não infinito, não teria poder para aniquilar nem para criar. Portanto a aniquilação da alma é impossível,implica contradição.

 

Ressurreição

 

 É uma verdade incontestada e incontestável que no homem, do ponto de vista de vista da ciência, "não há função sem órgão"; do ponto de vista filosófico, "a alma é substância incompleta que precisa do corpo que é outra substância incompleta, para ambas formarem uma perfeita unidade no homem; só esta unidade pode agir"; do ponto de vista teológico-religioso, a mesma verdade, que a alma precisa do corpo, foi definida nos Concílios Ecumênicos Vienense e Lateranense Quinto.

 É uma verdade científica, filosófica e teológica, incontestada e incontestável que "nada há sem razão suficiente", que "a natureza não faz nada em vão". ("Natura nihil facit frustra")

 A alma é eterna. Sem corpo não poderia agir; (Não levando em consideração a ordem sobrenatural: A Graça santificante com a que a alma pode conhecer a Deus) naturalmente ficará eternamente em vão sobrevivendo sem atuação nenhuma, eternamente frustrada?... Impossível. Contraditório.

 Portanto a essência da alma está reclamando seu corpo, para poder agir. A mesma alma e o mesmo corpo. O mesmo ser humano. A mesma pessoa. A "Ressurreição da carne". Essa exigência essencial também não pode ser frustrada.

 Do ponto de vista do corpo, a ressurreição da carne é preter-natural, gratuita. Devendo acompanhar eternamente a alma, o corpo gratuitamente deve receber também a impassibilidade, sutileza, etc : "Corpo espiritualizado". (Corpo Glorioso)

 Ora, morrendo, saímos do tempo para entrar na eternidade. Na eternidade não há tempo. Portanto, a ressurreição da carne tem que ser imediata à morte. Saída do tempo. Todos os que já morreram já ressuscitaram. E, não pode ser de outra maneira, sem implicar em contradição.

 A verdade nunca se opõe à verdade. Entre verdadeira ciência e verdadeira religião nunca há verdadeira oposição. A verdade ajuda a verdade. A ciência ajuda a religião. E vice-versa. Concretamente, entre os parapsicólogos, são muitos os que hoje se dedicam ao estudo do relacionamento entre Parapsicologia e Religião.

Oscar G. Quevedo S.J.

 

______________

Copyright 2003 - Paróquia Divino Espírito Santo - Maceió/AL

http://www.divinoespiritosanto.cjb.net