| Corpo cheio de agulhas |

 

[ Retornar ]

 

 

 É o caso, por exemplo, de dona Lucrecia, Lorena – SP.

Seu corpo apareceu cheio de agulhas. Braços, pernas, barriga... tinha agulhas de todos os tamanhos. Numa radiografia foram constatadas, só no peito, mais de 200 agulhas.

Segundo dona Lucrecia, um feiticeiro, um dia lhe fez propostas imorais que ela, aterrorizada, recusou. Depois de uns dias apareceu em sua porta um despacho, que ela, curiosa, abril e viu uma porção de agulhas de todos os tamanhos. Vingança do feiticeiro, ela pensou.

Este fato é fácil de analisar psicologicamente. Mas como Explicar? Você já ouviu falar em aporte? É um fenômeno parapsicológico que se explica da seguinte forma: Nós temos uma força, uma energia corporal, somática, vital, que se transforma e se exterioriza, invisível. É dirigida pela vontade do nosso inconsciente. Esta força imprime tal velocidade nos átomos de um objeto que pode transformar esses pequenos objetos em energia. Essa energia pode atravessar qualquer obstáculo e pouco tempo depois, pelo processo inverso, o objeto volta ao seu formato normal. Com essa força chamada telergia, que todos os seres humanos tem, se explica o aporte, que é a explicação para muitos fenômenos que acontecem. Por exemplo: Virgens que choram, Cristo que sangra, pedras que entram pelo telhado de uma casa que as pessoas chamam de mal-assombrada, agulhas e pregos que aparecem no corpo de uma pessoa, sem dor, etc. Este fenômeno freqüentemente é atribuído aos demônios, aos espíritos dos mortos ou a qualquer superstição que se queira. Mas a parapsicologia explica que é pela telergia de um ser humano vivo. O aporte só é possível sobre objetos pequenos, a menos de 50 metros de distância da que inconscientemente o realiza.

 

José Coelho Soares Neto- pesquisador do CLAP -Centro Latino-Americano de Parapsicologia

 

 

______________

Copyright 2003 - Paróquia Divino Espírito Santo - Maceió/AL

http://www.divinoespiritosanto.cjb.net