| Numa celebração da Palavra |

 

 

      Acendam-se ao menos 2 velas. Estenda-se o corporal sobre o altar. Ao lado do sacrário ou na credência (mesa pequena que fica ao lado, no presbitério) prepare-se um recipiente com água e um paninho para enxugar os dedos depois da distribuição da Comunhão. Usa-se também um patena.

      Ao se preparar para sua função, o Ministro extraordinário lave as mãos e apresente-se vestido de modo condizente com este sagrado ministério.

 

ABERTURA DA CELEBRAÇÃO

      A Celebração é iniciada por um cântico, onde for possível. Terminando o canto, diz-se a saudação:

      Cel.: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, Amém.

      Cel.: A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam conosco.

      Resposta: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

 

 

ATO PENITENCIAL

      Cel.: Irmãos, nesta (manha-tarde-noite) Nosso Senhor Jesus Cristo se dignou vir até nós. Reconhecendo que somos pecadores, peçamos-lhe o perdão dos nossos pecados, para podermos nos unir mais intimamente a Ele e a todos os nosso irmãos.

      Cel.: Digamos todos: Confesso a Deus, todo-poderoso, e a vós, irmãos e irmãs, que pequei muitas vezes, por pensamentos e palavras, atos e omissões. Por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos anjos e Santos e a vós, irmãos e irmãs, rogueis por mim a Deus, Nosso Senhor.

      Cel.: Deus todo-poderoso, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

      Resp.: Amém

      Ou

      Cel.: Senhor, que vieste salvar o corações arrependidos, tende piedade de nós!

      Resp.: Senhor, tende piedade de nós!

      Cel.: Cristo, que vieste chamar os pecadores humilhados, tende piedade de nós!

      Resp.: Cristo, tende piedade de nós!

      Cel.: Senhor, que intercedeis por nós junto do pai, tende piedade de nós!

      Resp.: Senhor, tende piedade de nós!

      Cel.: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nosso pecados e nos conduza à vida eterna.

      Resp.: Amém

 

 

RITO DA PALAVRA

      Cel.: Preparemo-nos para ouvir atentamente a Palavra de Deus e vivê-la com generosidade e amor.

      [Leituras e evangelho]

      – COMENTÁRIO ou CATEQUESE  – 

 

 

ADORAÇÃO:

      O ministro dirige-se ao sacrário, retira a âmbula, deposita-o sobre o altar e faz genuflexão (ajoelha-se com os 2 joelhos). Todos permanecem alguns instantes em silêncio e adoração, que poderá terminar com um canto.

 

COMUNHÃO:

 

      Cel.: Rezemos  confiantes a oração que Jesus nos ensinou:

      Resp.: Pai nosso que estais nos céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.

      Cel.:  A paz do Senhor esteja sempre convosco. O amor de Cristo nos uniu! Saudemo-nos uns aos outros em sinal de comunhão fraterna.

      Após a saudação mútua, o ministro abre a âmbula, genuflete, levanta-se e diz:

      Cel.: Eu sou o Pão vivo, que desceu do céu: se alguém come deste Pão, viverá eternamente. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor!

      Pega uma hóstia e eleva-a um pouco sobre a âmbula e continua em voz alta:

      Cel.: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!

      Resp.: Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo!

      Cel.: Que o corpo e sangue de Cristo nos guarde para a vida eterna.

      Após comungar, o ministro apresenta o Corpo de Cristo ao comungante dizendo:

      Cel.: “O CORPO DE CRISTO”

      Terminada a distribuição da comunhão, o Ministro repõe o cibório no tabernáculo, genuflete e,se julgar necessário, lava os dedos.

      Todos podem conservar-se sentados em silêncio por algum tempo como podem também cantar um salmo ou cântico de louvor.

      Cel.: Oremos (pausa)

      Senhor Jesus Cristo, neste admirável sacramento nos deixaste o memorial da vossa Paixão. Dai-nos venerar com tão grande amor o mistério do vosso Corpo e vosso Sangue. Que possamos continuamente colher os frutos da redenção. Vós que reinais com o Pai, na unidade do Espírito Santo. Amém.

 

BENÇÃO FINAL:

      Cel.: Que o Senhor nos abençoe, guarde-nos de todo mal e nos conduza à vida eterna.

      Resp.: Amém.

      Cel.: O Senhor todo-poderoso e cheio de misericórdia Pai e Filho e Espírito Santo nos abençoe e nos guarde.

      Resp.: Amém.

      Cel.: O Senhor esteja conosco.

      Resp.: Ele está no meio de nós.

      Cel.: Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo.

      Resp.: Amém.

      Cel.: Vamos em paz e o Senhor nos acompanhe.

      Resp.: Amém.

 

O que é um Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão?

Dados históricos

Instrução de João Paulo II sobre esse ministério

Condições para ser Ministro Extraordinário

Funções e objetivos dos Ministros

Ação do Ministro durante a missa

O culto eucarístico fora da celebração da missa

Exposição do Santíssimo Sacramento

Na casa de um enfermo: o Viático

Liturgia para Ministros Extraordinários

Numa celebração da palavra

Rito de investidura dos ministros

  Modos de receber a sagrada comunhão

Relação dos ministros extraordinários da sagrada comunhão 

 

Copyright  2001 -  Paróquia do Divino Espírito Santo - Maceió/AL