JESUS CRISTO EXISTIU MESMO?

 

Prof Felipe Aquino

 

 

 

 

A nossa fé está toda ela centrada em Jesus Cristo, o Filho único e bendito do Pai, testemunhado pelos apóstolos e por muitos. No entanto, aqueles que não crêem nisto, às vezes querem negar até a exitência histórica de Jesus, como se Ele tivesse sido apenas um mito. Mas hoje em dia esta tese já quase não tem mais adeptos, em face das evidências históricas e científicas. Há documentos cristãos e não cristãos (romanos e judeus) que falam de Jesus. Os cristãos já os conhecemos bem: os Evangelhos, as Cartas do Apóstolos, os escritos dos Santos Padres, etc..

Documentos romanos:

Entre os anos 110 e 120 três escritores romanos, não cristãos, deixaram o seu testemunho sobre Jesus. São documentos com menos de cem anos após a morte de Cristo, e informam com exatidão sobre o lugar e a época em que Jesus viveu. Consideram Jesus como um personagem histórico, e não como um mito.

1. O mais importante é o de Tácito que escreveu por volta do ano 116, falando do incêndio de Roma que aconteceu no ano 64. Tácito apresenta uma notícia exata sobre Jesus, embora curta. "Um boato acabrunhador atribuía a Nero a ordem de pôr fogo na cidade. Então, para cortar o mal pela raiz, Nero imaginou culpados e entregou às torturas mais horríveis esses homens detestados pelas suas façanhas, que o povo apelidava de cristãos. Este nome vêm-lhes de Cristo, que, sob o reinado de Tibério, foi condenado ao suplício pelo procurador Pôncio Pilatos. Esta seita perniciosa, reprimida a princípio, expandiu-se de novo, não somente na Judéia, onde tinha a sua origem, mas na própria cidade de Roma"(AnaisXV, 44).

2. Plínio o Jovem, Governador romano da Bitínia (Asia Menor), escreveu ao imperador Trajano, em 112: "...os cristãos estavam habituados a se reunir em dia determinado, antes do nascer do sol, e cantar um cântico a Cristo, que eles tinham como Deus" (Epístolas, I.X 96)

3. Suetônio, no ano 120, referindo-se ao reinado do imperador romano Cláudio (41-54), afirma que este "expulsou de Roma os judeus, que, sob o impulso de Chrestós (forma grega equivalente a Christós), se haviam tornado causa frequente de tumultos" (Vita Claudii, XXV). Esta informação coincide com o relato de Atos 18,2 ("Cláudio decretou que todos os judeus saíssem de Roma"); esta expulsão ocorre por volta do ano49/50. Suetônio, mal informado, julgava que Cristo estivesse em Roma, provocando as desordens. Os judeus foram expulsos de Roma por outros motivos.

Documentos Judaicos:

1. O Talmud dos judeus apresentam passagens referentes a Jesus. Talmud é uma coletânea de leis e comentários históricos dos rabinos judeus posteriores a Jesus. A importância destes documentos está em que, embora eles se opunham a Jesus, não negam a sua existência, embora procurem interpretar a tradição cristã de maneira a ridicularizá-la. É claro que eles não teriam a preocupação de combater um personagem que fosse apenas um mito.  Tratado Sanhedrin 43a do Talmud da Babilônia: "Na véspera da Páscoa suspenderam a uma haste Jesus de Nazaré. Durante quarenta dias um arauto, à frente dele, clamava: "Merece ser lapidado, porque exerceu a magia, seduziu Israel e o levou à rebelião. Quem tiver algo para o justificar venha proferí-lo!" Nada, porém se encontrou que o justificasse; então suspenderam-no à haste na véspera da Páscoa." Aqui os próprios judeus dão um testemunho claro da morte de Jesus por crucifixão, embora distorçam os fatos, procurando ridicularizar o Cristo, em quem não acreditavam.

2. Flávio Josefo (historiador judeu, 37-95):

"Por essa época apareceu Jesus, homem sábio, se é que há lugar para o chamarmos homem. Porque Ele realizou coisas maravilhosas, foi o mestre daqueles que recebem com júbilo a verdade, e arrastou muitos judeus e gregos. Ele era o Cristo. Por denúncia dos príncipes da nossa nação, Pilatos condenou-o ao suplício da Cruz, mas os seus fiéis não renunciaram ao amor por Ele, porque ao terceiro dia ele lhes apareceu ressuscitado, como o anunciaram os divinos profetas juntamente com mil outros prodígios a seu respeito. Ainda hoje subsiste o grupo que, por sua causa, recebeu o nome de cristãos"(Antiguidades Judaicas, XVIII, 63a). Alguns críticos põem em dúvida; alguns acham que os louvores a Cristo feito por Flávio José, foram colocados pelos cristãos; no entanto, é certo de que o escritor judeu atesta a sua convicção de que Jesus foi um personagem histórico.

Documentos Cristãos:

Os Evangelhos narram detalhes históricos, geográficos, políticos e religiosos da Palestina. São Lucas, que não era apóstolo e nem judeu, fala dos imperadores Cesar Augusto, Tibério; cita os governadores da Palestina: Pôncio Pilatos, Herodes, Filipe, Lisânias, Anás e Caifás (Lc 2,1;3,1s); São Mateus e São Marcos falam dos partidos políticos dos fariseus, herodianos, saduceus (Mt 22,23; Mc 3,6); São João cita detalhes do Templo: a piscina de Betesda (Jo 5,2), o Lithóstrotos ou Gábala (Jo 19, 13), e muitas outras coisas reais.  Os apóstolos e os evangelistas não podiam mentir, pois viviam e pregavam num ambiente hostil, tanto por parte dos judeus quanto por parte dos romanos, e a mínima mentira deles seria prontamente denunciada pelos adversários. Os apóstolos e evangelistas nunca teriam inventado um Messias do tipo de Jesus: Deus-homem, crucificado (escândalo para os judeus e loucura para os gregos - 1Cor1,23). Os relatos dos Evangelhos mostram um Jesus bem diferente do modelo do Messias "libertador político"que os judeus aguardavam. Além do mais, homens rudes da Galiléia não teriam condições de forjar um Jesus tão sábio, santo, inteligente, desconcertante... Os milagres que Jesus fez – cerca de 40 – que os evangelistas narraram (24Mt; 22Mc; 24Lc; 9Jo) jamais poderiam ter sido inventados pela mente dos cristãos. Sem eles, aquele povo não teria o entusiasmo de seguir Jesus, mesmo após a sua morte na cruz. A doutrina que Jesus pregava era de díficil vivência ("entrai pela porta estreita", "amai os vossos inimigos", condenava o divórcio tão comum entre os judeus, etc.) e não era adequada a gerar entusiasmos. O escritor romano Tácito, falava do cristianismo como "desoladora superstição", e Minúcio Felix, falava de doutrina indigna dos gregos e romanos.

Sem a realidade dos milagres, e de modo especial a Ressurreição, o Cristianismo não teria vingado na Palestina e teria sido aniquilado pelos doutores da lei. Sem a Ressurreição de Jesus, o milagre decisivo, o Cristianismo estaria baseado na falsidade de um crucificado, doente mental, ou farsante...e na alucinação de alguns rudes pescadores da Galilëia. Mas não, tudo foi verdade!

Isto mostra a veracidade de tudo o que os Evangelhos narram. É preciso lembrar ainda que o zelo da Igreja pela verdade dos fatos, fez com que ela rejeitasse como não autênticos muitos textos apócrifos, por serem cheios de fantasias e maravilhas não comprovadas. Será que poderia um mito ter vencido o Império Romano?

Será que um mito poderia sustentar os cristãos diante de 250 anos de martírios e perseguições? O escritor cristão Tertuliano (†220), de Cartago, escriveu que "o sangue dos mártires era semente de novos cristãos".

Será que um mito poderia provocar tantas conversões ao Cristianismo? No século III já haviam cerca de 1500 sedes episcopais em toda a Igreja.

Será que um mito poderia sustentar uma Igreja, que começou cm doze homens simples, e que já tem 2000 anos; já teve 264 Papas, tem hoje mais de 4000 bispos e 410 mil sacerdotes?

 

 

 

 

JESUS FOI ANUNCIADO NAS ESCRITURAS

 

"Para que se cumpram as Escrituras até o fim" (Jo 19,28; 15, 25).

As Sagradas Escrituras anunciavam o Messias com muitos detalhes; e Jesus chamou a atenção para isto. Jo 5, 39 – "As Escrituras dão testemunho de mim". E foram os próprios judeus os guardas dos livros proféticos (séc XV a V aC), mas infelizmente não souberam reconhecer o Messias quando ele chegou... Com os discípulos de Emaús, o Senhor fez questão de enfatizar que as Escrituras falavam dele:

"E, começando por Moisés, percorrendo todos os profetas, explicava-llhes o que dele se achava dito em todas as escrituras" (Lc24,27). "Antes de tudo, sabei que nenhuma palavra da Escritura é de interpretação pessoal. Porque jamais uma palavra foi proferida por efeito de uma vontade humana. Homens inspirados pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus" (2 Pe 1,20-21). 

Vamos mostrar resumidamente algumas passagens importantes que apontam para o Messias, indicando as suas características: Gen 17, 6s; 22, 18; 26,4 - Ele virá de Abraão: "Tornar-te-ei extremamente fecundo, farei nascer de ti nações e terás reis por descendentes".  Gen 26,4: virá de Isaac: "Multiplicarei tua posteridade como as estrelas do céu..." Gen 28,14: virá de Jacó: "Tua posteridade será tão numerosa como os grãos de poeira no solo..."  Gen 49,8s: Virá da tribo de Judá: "Judá, teus irmãos te louvarão. .. Os filhos de teu pai te prostrarão em tua presença. Não se apartará o cetro de Judá..." (Benção de Jacó). Dt 18,15 - "O Senhor, teu Deus, suscitará dentre os teus irmãos um profeta como eu: é a ele que deveis servir".

II Sam 7, 16 - "Tua casa e teu reino estão estabelecidos para sempre diante de mim, e o teu trono está firme para sempre". Lc 1,69 - "Suscitou-nos um poderoso Salvador na casa de Davi, seu servo (como havia anunciado, desde os primeiros tempos, mediante os seus santos profetas).  Ag 2,7 - O Messias penetrará no Templo novo: "O explendor desta casa sobrepujará o da primeira".  Is 7,14 - "Eis que a Virgem conceberá e dará a luz...Deus conosco"(Mt 1,23)  Mq 5,1s - Nascerá em Belém: "Mas tu, Belém, tão pequena entre os clãs de Judá, é de ti que sairá para mim aquele que é chamado a governar Israel" (Mt 2,6).  Os 11,1 - Voltaria do Egito: "E do Egito chamei meu Filho"(Mt 2,15). Jer 31,15 - "Ouve-se em Ramá uma voz, lamentos e amargos soluços. É Raquel que chora os filhos..."(Mt 2,8) Is 40,3 - Ml 3,1 -A voz do deserto: "Abri no deserto um caminho para ao Senhor..."(Mt 3,3) Sl 2,1 - "Por que tumultuam as nações? ...E os príncipes se unem para conspirar contra o Senhor e contra o seu Cristo".(At 4,26) Is 42 - A descrição do Servo: "Eis meu Servo que eu amparo, meu eleito ao qual dou toda a minha afeição, faço repousar sobre ele o meu espírito... Para abrir os olhos aos cegos, para tirar dos cárceres os prisioneiros e da prisão aqueles que vivem nas trevas"(Mt 12,18) Is 9,1 - Pregaria na Galiléia - "A terra de Zabulon e de Neftali... a Galiléia dos gentios, este povo que jazia nas trevas viu uma grande luz..."(Mt 4,15)

Is 61,1s - "O Espírito do Senhor está sobre mim..."(Lc 4,14)

Jer7,11 - Zelo pela casa do Senhor - "Está escrito: A minha casa é casa de oração; vós a transformastes em covil de ladrões"(Mt 21,12)

Sl 77,2 - Usaria de parábolas – "Abrirei a boca para ensinar em parábolas, revelarei coisas ocultas desde a criação" . (Mt13,14)

Zac 9,9 - Montado no jumentinho ."Não temas, filha de Sião, eis que vem o teu Rei montado num filho de jumenta"(Jo 12,15)

Sl 40,10 – Seria traído por alguém íntimo - "Aquele que come o pão comigo, levantou contra mim o seu calcanhar"(Jo13,18)

Zac 11,12 - Seria vendido por 30 moedas: "Eles pagaram-me apenas trinta moedas de prata...(Mt 27,9)

Is 53,3s – Sofreria terrivelmente - "Homem das dores..., experimentado no sofrimento..., tomou sobre si nossas enfermidades..., carregou nossos sofrimentos..., castigado por nossos crimes, e esmagado por nossas iniquidades, o castigo que nos salva pesou sobre ele, fomos curados graças às suas chagas...., foi maltratado e não abriu a boca..., como um cordeiro que se conduz ao matadouro..., por um iníquuo julgamento foi arrebatado..., quem pensou em defender a sua causa..., morto pelo pecado do seu povo..., foi lhe dada sepultura ao lado de fascínoras..., ao morrer achava-se entre malfeitores..., se bem que não haja cometido injustiça alguma..." (Mc15,28)

Is 50,6 – Sofreria pacientemente - "Aos que me feriam apresentei as espáduas, e as faces àqueles que me arrancavam a barba; não desviei o rosto dos ultrajes e dos escarros."

Sl 21, 19 – Detalhes do seu sofrimento - "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes?...(Mt 27,35). Todos os que me veêm zombam de mim... Dizem, meneando a cabeça: "Esperou no Senhor, pois que Ele o livre, que o salve se o ama..." Minha garganta está seca qual barro cozido, pega-se no paladar a minha língua.... Cerca-me um bando de malfeitores... Transpassaram minhas mãos e meus pés...

Poderia contar todos os meus ossos. Repartem entre si as minhas vestes, e lançam sorte sobre a minha túnica".

Ex 12,46 – "Nenhum osso será quebrado".(Jo19,36) Sl 68,22 - "Puseram fel no meu alimento, na minha sede deram-me vinagre a beber".  Zac12,10 - "Olharão para aquele que transpassaram"(Jo 19,36)

Zac 13,7 - "Fere o pastor e as ovelhas serão dispersas". (Mt 26,21) Sl 117,22 - "A pedra rejeitada pelos construtores, tornou-se a pedra angular; isto é obra do Senhor" (Mt21,42).

Sl 109,1 - Ascensão - "O Senhor disse a meu Senhor: Senta-te à minha direita até que eu ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés"(At 2,35).

Sl 15,8-11 - Ressurreição - "A minha carne repousará na esperança. Não deixarás a minha alma na região dos mortos, nem permitirás que o teu santo conheça a corrupção" (At 2,27) Tudo se cumpriu com rigorosa exatidão histórica. Tudo o que foi predito pelos profetas e pelas Escrituras se cumpriu rigorosamente com Jesus. "É preciso que se cumpram as Escrituras até o fim "(Jo 19,28)

1- Tudo o que foi predito e realizado na vida de Jesus jamais poderia ser fruto da imaginação humana.

2- As predições dos profetas foram contra a sua vontade e contra o sentir dos judeus, que jamais esperavam um Messias "homem das dores".

3- Não há sentimentalismo nas Escrituras e nas previsões exatas dos profetas.

4- Quem de nós será capaz de fazer previsões? Em que dia vai chover; quando e onde haverá terremotos, mortes, catástrofes, etc. Mesmo com a mais avançada técnica moderna, dotada de computadores, radares e satélites, sismógrafos e coisas semelhantes, somos surpreendidos pelas surprezas da natureza. O que dizer dos profetas que fizeram previsões sobre a vida de Jesus, com até 700 anos de antecedência? Quem de nós será capaz de dizer o que vai acontecer amanhã na vida de alguém?

Jo 5, 39 – "As Escrituras dão testemunho de mim." Cumpriu-se aquilo que Felipe disse a Natanael:
Jo1,45s - "Encontramos Aquele de quem Moisés escreveu na Lei e que os profetas anunciaram: é Jesus de Nazaré, filho de José".

Jesus afirmou ser Deus

Jo 8,58 – "Em verdade vos digo, antes que Abraão existisse Eu Sou" Jo 8,56 – " Abraão, vosso Pai, exultou com o pensamento de ver o meu dia."  Jo 10,36-38 - "... como acusais de blasfemo aquele que o Pai santificou e enviou ao mundo, porque eu disse: Eu sou o Filho de Deus? Se eu não faço as obras de meu Pai, não me creais. Mas se as faço, e se não quiserdes crer em mim, crede nas minhas obras, para que saibais e reconheçais que o Pai está em mim e eu no Pai."

Jo 10,33 - " Os judeus responderam: Não é por causa de alguma boa obra que queremos apedrejar-te, mas por uma blafêmia, porque, sendo homem, te fazes Deus."

Jo 5,18: "Por esta razão os judeus, com maior ardor, procuram tirar-lhe a vida, porque não somente violava o repouso do sábado, mas afirmava ainda que Deus era seu Pai e se fazia igual a Deus."

Jo 19,7 - "Responderam-lhe[a Pilatos] os judeus: nós temos uma lei, e segundo essa lei ele deve morrer, porque se declarou filho de Deus."

Mc 14,61 - "O sumo sacerdote tornou a perguntar-lhe: És tu o Cristo, o Filho do Deus bendito?"Jesus respondeu: eu o sou!"

Jo 8,12 - "Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida".

Jo 9,5 - "Eu sou a luz do mundo..."

Jo 9,36 - "Crês no Filho do Homem? - Quem é ele, Senhor, para que eu creia nele? - Disse-lhe Jesus: "Tu o vês, é o mesmo que fala contigo". - Creio Senhor, disse ele, e prostrando-se adorou-o".

Mt 21,9 - "Hosana ao Filho de Davi. Bendito o que vem em nome do Senhor!..."

Jo 4,25ss – "Respondeu a mulher: sei que deve vir o Messias (que se chama Cristo) ... Disse-lhe Jesus: "Sou eu, quem fala contigo"." Mt 16, 13-20 - "Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo!...- Feliz és tu Simão..."  Mt 5, 21-48 - "Eu, porém, vos digo..." Mt 9,2-7 - "Os teus pecados estão perdoados..." Mc 2, 27s – "O sábado é o dia do Senhor. E Jesus é o Senhor do dia do Senhor". Mt 16,25 – "Quem perde a vida por minha causa, ganhá-la-á". Mt 5, 12 –" Felizes os que sofrem perseguição por minha causa." Jesus fez exigências enormes que só Deus poderia ter feito Lc 9, 23 - "Se alguém quer vir após mim, renegue-se a si mesmo, tome cada dia sua cruz, e siga-me..." Lc 14,25 – "Se alguém vem a mim e não odeia seu pai, sua mãe, sua mulher, seus filhos, seus irmãos, suas irmãs, sim, até a sua própria vida, não pode ser meu discípulo". Conclusão: Ou Jesus era Deus, como disse que é; ou então, foi um grande mentiroso e farsante. Mas, os inimigos da Igreja (os racinalistas) afirmaram que Jesus foi a mais bela criatura que já passou pela terra; portanto, não foi um farsante ou mentiroso; então, é Deus, como afirmou ser. Adoremos o Senhor!

 

 

 


 

Fonte: Prof. Felipe Aquino - Editora Cléofas

Conheça os livros do  prof. Felipe Aquino e documentos da Igreja EDITORA CLÉOFAS,Caixa Postal 100 - CEP: 12600-970,  Lorena-SP, (0xx12)552-6566

Home Page: www.cleofas.com.br

Email : cleofas@cleofas.com.br

----------------------------------------------------------------

Copyright  2002 -  Paróquia do Divino Espírito Santo - Maceió/AL