Confissão Comunitária

 

 

 

A confissão individual (auricular) é fundamental. A confissão comunitária só deve ser usada em casos raros quando a perigo de morte e o sacerdote não tem tempo de confessar a todos individualmente, ou em casos em que o sacerdote vai há um lugar poucas vezes, e não tem tempo de confessar a todos.

 

O Catecismo da Igreja afirma:

 

´Em casos de necessidade grave, pode´se recorrer à celebração comunitária da reconciliação com confissão e absolvição gerais. Esta necessidade grave pode apresentar´se quando há um perigo iminente de morte sem que o ou os sacerdotes tenham tempo suficiente para ouvir a confissão de cada paciente. A necessidade grave pode apresentar´se quando, tendo em vista o número de penitentes, não havendo confessores suficientes para ouvir devidamente as confissãoes individuais num tempo razoável, de modo que os penitentes , sem culpa de sua parte, se veriam privados durante muito tempo da graça sacramental ou da sagrada Eucaristia. Nesse caso os fiéis devem ter, PARA A VALIDADE DA ABSOLVIÇÃO, O PROPÓSITO DE CONFESSAR INDIVIDUALMENTE SEUS PECADOS NO DEVIDO TEMPO. (Código de Direito Canônico § 962). Um grande concurso de fiéis por ocasião das grandes festas ou de peregrináções não constitui caso de tal necessidade grave.´ (Catecismo § 1483)

 

Veja que a Igreja exige a confissão individual depois que a pessoa participou da confissão comunitária.

 

 

 


 

Fonte: Prof. Felipe Aquino - Editora Cléofas

Conheça os livros do  prof. Felipe Aquino e documentos da Igreja EDITORA CLÉOFAS,Caixa Postal 100 - CEP: 12600-970,  Lorena-SP, (0xx12)552-6566

Home Page: www.cleofas.com.br

Email : cleofas@cleofas.com.br

----------------------------------------------------------------

Copyright  2002 -  Paróquia do Divino Espírito Santo - Maceió/AL