| Mulher Solidária |

Página Inicial

29/08/04

MONS. PEDRO TEIXEIRA CAVALCANTE *

       Rezando e meditando os mistérios do rosário, admirei a solidariedade de Jesus com a história dos homens e de cada homem. Mas também fiquei estupefato com a solidariedade de Maria Santíssima com seus filhos, peregrinos do vale de lágrimas. Criatura humana como nós, também ela filha de Eva, mas elevada às alturas por uma predileção toda especial da Trindade, Maria, mãe de Jesus e, por conseguinte, mãe de todos os irmãos de Jesus, não somente ingressou na história salvífica de uma maneira toda singular, mas, por isso mesmo, imergiu na história e na vida de cada filho seu. Na anunciação do anjo, ela assume a responsabilidade da maternidade divina, dará Jesus para a redenção de todos os homens. Na visita a Isabel, demonstra sua caridade especial para estar ao lado dos necessitados e incursos nas dificuldades da vida cotidiana, bem como sua missão evangelizadora, levando Jesus a todos os lares. No nascimento de Cristo, Maria participa não somente da situação de parturiente do comum das mulheres, mas também da dolorosa situação daquelas que não têm nem sequer um lugar digno para dar à luz um filho. Na apresentação no Templo, a Virgem puríssima se submete, como todas as suas contemporâneas, ao rito da purificação e resgata seu filho como todos os demais primogênitos judeus. Nos demais mistérios do rosário, o ritual é o mesmo, ou seja, a solidariedade de Maria na vida e na história dos seus irmãos e irmãs, do seu tempo e de hoje. Isto acontece nos sacrifícios na sua condição de mãe, na não percepção completa dos mistérios da vida de Jesus, na vivência da fé, na pobreza de uma família, no cumprimento dos deveres cívicos, sociais e religiosos do seu povo. Ela vai da festa de núpcias em Caná da Galiléia à doação total durante a oblação do Calvário. Tudo para o bem e felicidade de todos nós. Na verdade, Maria é uma mulher solidária!


* É DOUTOR EM TEOLOGIA E VIGÁRIO-GERAL

Copyright  2004 -  Paróquia Divino Espírito Santo - Maceió/AL