| O Pálio do Arcebispo |

Página Inicial

29/06/03

MONS. PEDRO TEIXEIRA CAVALCANTE *

       Aqui, em Roma, na Basílica de São Pedro, o santo padre, João Paulo II, preside as cerimônias em honra dos apóstolos Pedro e Paulo. Nesta mesma Basílica, Sua Santidade entrega hoje, solenemente, à Sua Excelência dom José Carlos Melo C.M. o Pallium, insígnia de arcebispo. (
veja as fotos de D. José Carlos e Mons. Pedro nesta cerimônia)
       O Pálio é uma insígnia própria dos arcebispos. Concretamente, é uma banda de lã branca, benta na festa de Santa Inês, com seis cruzes pretas. Pousa sobre os ombros dos arcebispos e dá a volta ao pescoço, com duas faixas pendentes, uma sobre o peito e outra sobre as costas. A lã do tecido provém dos cordeiros oferecidos ao Papa no dia de Santa Inês. Todos os arcebispos, e alguns bispos por privilégio especial, devem ir a Roma para receber diretamente do papa o pálio. Ele é usado diretamente sobre a casula, dentro da própria Província eclesiástica nas grandes solenidades litúrgicas. No Pálio, o arcebispo coloca alguns grampos, tantos quantos forem suas dioceses sufragâneas, com uma pedra semi-preciosa.
       O Pálio era uma insígnia imperial, concedida ao papa, no final do século IV ou inícios do século V, como símbolo do seu múnus pastoral. Desde o século VI, passou a ser usado também pelos metropolitas.
       Portanto, na festa de hoje, aqui, na Basílica de São Pedro, Sua Excelência, dom José Carlos Melo, C.M., recebe das mãos de João Paulo II, que o nomeou para a nossa Arquidiocese, a sua insígnia de Arcebispo Metropolitano da Arquidiocese de Maceió, da Província eclesiástica de Maceió, que consta de uma Arquidiocese (Maceió) e duas Dioceses sufragâneas (Palmeira dos Índios e Penedo).
Parabéns ao nosso arcebispo!


* É DOUTOR EM TEOLOGIA E VIGÁRIO-GERAL

Copyright  2003 -  Paróquia Divino Espírito Santo - Maceió/AL