| São Padre Pio |

Página Inicial

23/06/02

MONS. PEDRO TEIXEIRA CAVALCANTE *


      Que homem é esse, que atraiu, durante sua vida, milhões de pessoas para visitá-lo, ouvi-lo e seguir os seus conselhos? Que homem é esse que, ainda hoje, passados pouco mais de trinta e um anos de sua morte, ainda é capaz de reunir, em Roma, centenas de milhares de pessoas, de todas as partes do mundo, para assistirem a sua canonização? Que homem é esse que, durante sua vida terrena e ainda hoje, é lido e discutido, gerando paixões, interesses e provocando amor e desprezo? Que homem é esse que, nunca tendo saído da sua província, no interior da Itália, criou um movimento religioso que se espalhou pelo mundo inteiro? Que frade capuchinho é esse que, sendo pobre e simples, conseguiu construir um dos maiores hospitais do mundo? Afinal, quem é esse novo santo, o santo Padre Pio?
      Tudo começou na pequena cidade de Pietrelcina de Benevento, no sul da Itália, aos 25 de maio de 1887. Filho de pais muito pobres, instruiu-se a duras custas. Chamado por Deus para a vocação religiosa, tornou-se sacerdote capuchinho aos 10 de agosto de 1910. Aos 23 de setembro de 1968 partiu santamente deste mundo. Em 1983, foi iniciado o processo de beatificação e aos 2 de maio de 1999, foi beatificado. No domingo passado, 16 de junho de 2002, o papa João Paulo II, tantas vezes beneficiado pelo santo, canonizou-o na Praça de São Pedro, em Roma.
      Sua vida espiritual até a morte foi marcada pela oração e pelo sofrimento; sua pastoral sacerdotal foi registrada pela direção espiritual por cartas e pessoalmente e pelo atendimento a confissões; seu zelo missionário foi assinalado pelo grandioso hospital “Casa do alívio do sofrimento” e pela criação dos “Grupos de Orações”, espalhados pelo mundo inteiro. Padre Pio viveu, continuamente, a “noite escura” dos grandes místicos; formou-se, como disse o papa, na escola do calvário, escola dos santos e soube unir a mais alta contemplação com a ação humana, solidária e cristã em prol dos necessitados e enfermos.
      * É Doutor em Teologia e Vigário-Geral.

Copyright  2002 -  Paróquia Divino Espírito Santo - Maceió/AL