| Corpus Christi |

Página Inicial

22/06/03

MONS. PEDRO TEIXEIRA CAVALCANTE *

       
Na quinta-feira santa, a Igreja celebra a instituição da Eucaristia, e na “Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo”, a liturgia dá evasão à sua alegria pela presença eucarística de Jesus entre nós. Não se trata, pois, de duplicação de festa, mas de uma mesma comemoração vista sob prismas diferentes.

            Tudo começou quando o bispo de Liège, na Bélgica, introduziu, pela primeira vez, esta festa na sua diocese em 1264. A devoção a Jesus sacramentado vinha sendo provocada e desenvolvida com as visões da Irmã Juliana  de Liège e foi ela com seus conselheiros espirituais que levaram o bispo a tomar a decisão da festa. Mais tarde, o papa Urbano IV, que fora de Liège, prescreveu a festa para toda a Igreja, o que veio a ser confirmado com Clemente V e, sobretudo, João XXII.

            Portanto, a festa de “Corpus Christi”, como é comumente chamada pelo nosso povo, é um grito da liturgia para que os católicos amem mais e adorem mais o Santíssimo Sacramento do altar. Com efeito, não basta crer que Jesus está na hóstia consagrada, que se conserva no sacrário; é preciso dar provas dessa fé não apenas visitando Jesus, adorando-o na Igreja, mas também proclamando, alto e bom som e por toda parte, essa presença real, viva e importante. Não basta, pois, uma devoção particular, individual; faz-se necessária a proclamação pública da presença eucarística, para que ela seja mais estimada, valorizada, aproveitada e amada. Por isto, temos a famosa e mui concorrida procissão de Corpus Christi.

            A propósito, é bom lembrar as palavras do Papa, João Paulo II, na sua última Encíclica, justamente sobre a presença real de Cristo na Eucaristia e a importância vital dessa presença: “O culto prestado à Eucaristia fora da Missa é de um valor inestimável na vida da Igreja... Compete aos Pastores, inclusive pelo testemunho pessoal, estimular o culto eucarístico, de modo particular as exposições do Santíssimo Sacramento e também as visitas de adoração a Cristo presente sob as espécies eucarísticas.”


* É DOUTOR EM TEOLOGIA E VIGÁRIO-GERAL

Copyright  2004 -  Paróquia Divino Espírito Santo - Maceió/AL