| O Dia da Audiência |

Página Inicial

20/07/03

MONS. PEDRO TEIXEIRA CAVALCANTE *

          O dia 30 de junho passado ficará eternamente gravado na minha memória. Com efeito, na manhã ensolarada e quente daquele dia, em Roma, na sala Paulo VI, tive a felicidade de participar de uma audiência do santo padre, João Paulo II, e beijar-lhe a mão.
          Tudo começou por causa da festa acontecida no dia anterior, solenidade dos Apóstolos, Pedro e Paulo, quando, em frente à Basílica de São Pedro, o sumo pontífice impôs o sagrado Pálio a 38 arcebispos, entre os quais se encontrava o nosso arcebispo metropolitano, dom José Carlos Melo, C.M.
          No dia seguinte, o santo padre recebeu os arcebispos condecorados, cada um acompanhado de uma pequena delegação de quatro pessoas. Fui sorteado para a delegação de dom José Carlos e, por isto, às 10h, já estava à entrada da grande sala de audiências, ao lado de Sua Excelência.
          A audiência começou às 11h15, quando o santo padre entrou no auditório, não mais andando, porque não pode, mas num carrinho adrede preparado, empurrado por altos funcionários do Vaticano.
          O papa fez logo um pequeno discurso saudando os arcebispos e, depois, recebeu-os um a um, sempre com a respectiva delegação. Imaginem a sensação e a alegria de estar ali, na fila, a poucos metros do santo padre, esperando a hora de beijar-lhe a mão.
          Dom José Carlos aproximou-se do papa, ajoelhou-se, beijou sua mão, disse-lhe algumas palavras e, depois, sentou-se ao seu lado e foi apresentando os membros da sua comitiva. Fui o primeiro. Na hora, esqueci tudo que queria fazer e dizer. Vi depois pelas fotos que fiquei apenas sorrindo e extasiado. Lembro-me, porém, quando dom José Carlos disse: Este é meu vigário-geral. O papa, com um sotaque perfeito, perguntou: De Maceió? Respondi que sim e ele, então, levantou o braço e me abençoou.


* É DOUTOR EM TEOLOGIA E VIGÁRIO-GERAL

Copyright  2003 -  Paróquia Divino Espírito Santo - Maceió/AL