| LÁBIOS... BEIJOS E BOMBAS! |

Página Inicial

19/05/04

MONS. PEDRO TEIXEIRA CAVALCANTE *

       São tão delicados, que qualquer coisinha pode afetá-los, todavia, como outros membros do corpo humanos, eles podem gentis como em um beijo na pessoa amada e detonar bombas, quando disparam uma saraivada de maledicências, mentiras e calúnias. Juntamente com a língua, eles são dignificados quando recebem o Corpo e Sangue do Senhor na santa Comunhão e são vis e desprezíveis, quando soltam palavrões, impropérios e blasfêmias. Os lábios podem ser de mel e de fel!

            Abri as Escrituras Santas para ver o que elas dizem sobre os nossos lábios e fiquei abismado com o número infindável dos textos relativos aos lábios. Seria necessário um estudo longo, muito longo mesmo, se quiséssemos falar sobre os lábios na Bíblia. Mas, não ficar sem nada, vai aqui um tira-gosto das mensagens bíblicas. Tira-gosto só dos Salmos.

            Nos Salmos duas considerações aparecem claras, quando falam dos lábios. A primeira é que eles servem e devem louvar a Deus: “Abri, Senhor, os meus lábios e minha proclamará o teu louvor” (Sl 51,17). Ou, ainda: “E os meus lábios dirão tua justiça,cantarei teu louvor eternamente.” (Sl 35,28) A segunda consideração, e esta é forte neste Livro sagrado, é a prece constante do salmista contra aqueles que têm lábios mentirosos, traiçoeiros e caluniadores: “Seus corações fecharam-se, insensíveis;falam com lábios cheios de arrogância. Acercam-se de mim, já me assediam;de olhos atentos, visam derrubar-me. Parecem o leão que busca a presa, a cria do leão já de emboscada. Levanta-te, Senhor, em meu socorro;vem depressa enfrentá-lo e dominá-lo!” (Sl 16,10-13) Ou, ainda: “Não te cales, ó Deus do meu louvor; abrem-se contra mim lábios falazes, usando de linguagem mentirosa. Com palavras de ódios eles me cobrem,eis que me atacam sem razão alguma! Pagam minha amizade me acusando,e eu  no entanto ponho-me a rezar. O bem que fiz, com o mal o retribuem,com o ódio o meu amor, enquanto dizem. Faze que o mau se erga contra ele,poste-se à sua destra o acusador. Quando o julgarem, seja condenado; quando pedir clemência, seja em vão. Veja ele encurtados os seus dias... (Sl 109, 1-8)

            Não manchemos a delicadeza dos lábios, que se abrem na Missa para receber o Senhor e no Ofício divino para cantar os seus louvores.


* É DOUTOR EM TEOLOGIA E VIGÁRIO-GERAL

Copyright  2004 -  Paróquia Divino Espírito Santo - Maceió/AL