| Carnaval no Carmelo |

Página Inicial

13/03/2011

MONSENHOR PEDRO TEIXEIRA CAVALCANTE *

       Não me entendam mal. Não houve carnaval no Carmelo. Eu quero falar como se vive o tempo de carnaval no Carmelo. Este ano, tive a inspiração e a dádiva de passar terça-feira de carnaval e quarta-feira de Cinzas no Carmelo de Maceió, situado em Riacho Doce. Foram dias de muitas graças! Foi um verdadeiro kairós!
No Carmelo, a terça-feira de carnaval é dia de reparação à Sagrada Face de Jesus
e tudo começou às 5h30. O dia todo foi de oração e silêncio. Depois da santa Missa, às 9h30, começamos a adoração do Santíssimo Sacramento, que só terminou às 17h. Durante essas horas, as monjas cantaram o Ofício Divino e adoraram o Prisioneiro de amor. Quando não aguentavam mais ficar de joelhos, elas se sentavam, mas não arredaram o pé da capela e não deixaram Jesus sozinho um minuto sequer.
Mas, o dia não terminou com a Bênção do Santíssimo e a reposição de Jesus Sacramentado, pois as orações continuaram até tarde, intercaladas pelo silêncio e pelos trabalhos de cada uma. Mas, o mais fascinante não foi apenas o que aconteceu durante o dia, mas, sim, a alegria, o entusiasmo, a dedicação das irmãs em tudo que fizeram.
Durante meu tempo de adoração, pensei sobre muitas coisas e Deus me falou sobre outras tantas. Em primeiro lugar, agradeci a existência do Carmelo Santa Teresinha, em Maceió e lembrei-me da palavra de São Paulo: “onde abundou o pecado, superabundou a graça”. (Rm 5,20) Enquanto lá fora, muitos mergulhavam no pecado, no Carmelo se adorava e se reparavam as ofensas à Trindade Santíssima. Assim, eu vi meu grande sonho se tornar realidade, o Carmelo como uma Betel, um pólo de espiritualidade, uma montanha sagrada donde saem raios lazer da graça divina sobre a nossa cidade e nosso Estado.


* É DOUTOR EM TEOLOGIA E PÁROCO DA PARÓQUIA DIVINO ESPÍRITO SANTO - JATIÚCA - MACEIÓ/AL

Copyright  2011 -  Paróquia Divino Espírito Santo - Maceió/AL