| Aniversário da nossa mãe |

Página Inicial

12/09/04

MONS. PEDRO TEIXEIRA CAVALCANTE *

       Em geral, costumamos celebrar o dia do nosso aniversário natalício. Pelo menos, os que podem e gostam assim o fazem. Quando se trata de alguém de que gostamos muito, então fazemos festa também e participamos, com alegria e presentes, das celebrações para as quais somos convidados. É até chato, nos nossos costumes, esquecer o aniversário de alguém, que é nosso amigo, nosso parente e que amamos muito. Pois bem, assim procedemos com o aniversário natalício do nosso Senhor e Redentor, Jesus Cristo. A festa do Natal, celebrada no mundo do cristianismo, é, sem dúvida, uma das mais belas, comoventes e vividas de todo o ano. Com efeito, não só celebramos o fato do nascimento de Jesus, mas também o significado e a importância desse nascimento para toda a humanidade. O mesmo, porém, não acontece com o dia do natal da mãe de Jesus e de todos nós, Maria Santíssima. É uma pena, mas a maioria dos católicos nem sabe quando é a festa da natividade de Nossa Senhora. É verdade que na liturgia católica, o dia 8 de setembro, natal de Nossa Senhora, é uma festa, que não chega, porém, a ser uma solenidade e, penso eu, deixa muito a desejar para uma comemoração tão importante. Digo que a natividade de Maria é importante, porque sem Maria, pelo menos na atual economia da salvação, não teria existido Jesus, salvador e único mediador entre os homens e Deus. O nascimento de Maria não somente é a concretização de um projeto divino pensado desde toda a eternidade, mas é também, de certa maneira, o início do processo salvífico que será realizado por Cristo e continuado na sua Igreja, através dos séculos, na força e na luz do Espírito Santo. No nascimento de Maria, uma obra-prima de Deus vem à luz: aquela que será a mais bendita de todas as criaturas; toda pura, sem pecado original, por ser predestinada a ser templo do Espírito Santo, que no seu ventre produzirá a concepção virginal deJesus, o salvador. Portanto, no momento do nascimentode Maria realiza-se não só um fato de altíssima significação com relação à própria Maria, mas também de profunda importância pela sua relação com o mistério salvífico da humanidade. Todavia, essa data passa quase despercebida. É uma pena! Apesar disso, parabéns Mãe!


* É DOUTOR EM TEOLOGIA E VIGÁRIO-GERAL

Copyright  2004 -  Paróquia Divino Espírito Santo - Maceió/AL