| Sagrado Coração de Jesus |

Página Inicial

09/06/02

MONS. PEDRO TEIXEIRA CAVALCANTE *


     Por que a devoção e o culto ao Coração de Jesus e também não aos seus pés, às suas mãos, aos seus cabelos? Em primeiro lugar, é preciso dizer que a humanidade de Jesus Cristo, quer considerada no seu todo, quer considerada em cada uma de suas partes, é adorável e deve ser adorada, “enquanto unida hipostaticamente com a Pessoa do Verbo”. Em segundo lugar, devemos lembrar que, quando se trata de culto ou devoção à humanidade de Jesus Cristo, não somente o coração recebe essas honras, mas também as suas chagas e a sua divina face recebem as mesmas homenagens. Em terceiro lugar, devemos recordar que o coração é o símbolo do amor, ou melhor dizendo, ele é considerado o órgão depósito do amor. Assim sendo, “teologicamente se pode afirmar que o término próprio desse culto é o Coração de Jesus, visto como símbolo do seu amor, ou, e talvez também melhor, é o próprio Jesus, considerado no seu amor e que se revela a nós no símbolo do seu Coração”.
     Quando se fala de devoção ao Coração de Jesus, podemos pensar num simples ato de culto ocasional, ou até numa atitude interior, que especifica toda uma espiritualidade. Em ambos os casos, o fundamento teológico e a razão psicológica são as mesmas: toda a humanidade divina de Jesus é adorável e Deus é, na sua essência, amor.
     Toda a Escritura Sagrada fala do Deus de amor e São João, só para recordar o ponto mais alto da revelação que lhe fora confiada, no ápice de suas meditações teológicas e no cume do seu pensamento místico, afirma categoricamente que Deus é amor (1 Jo 4,8.16).
     Ademais, o fato de o Coração de Jesus ter sido transpassado por uma lança na hora de sua crucifixão, quando dele jorrou sangue e água, é, no pensamento joanino, “o lugar de encontro do amor redentor de Deus, com o amor penitente e grato da humanidade redimida”. Assim, o Coração de Jesus, por ser símbolo do amor divino e, de fato, ter demonstrado concretamente esse amor, merece toda nossa adoração, nossa devoção e nosso culto.
     * É DOUTOR EM TEOLOGIA E VIGÁRIO GERAL

Copyright  2002 -  Paróquia Divino Espírito Santo - Maceió/AL