| Carnaval e retiro |

Página Inicial

09/03/03

MONS. PEDRO TEIXEIRA CAVALCANTE *

     Durante o carnaval, é costume, aqui no Brasil, muitos grupos se reunirem para fazer um retiro. Há retiros fechados, há retiros abertos e há até encontros espirituais. Pessoalmente, organizei um encontro espiritual com os jovens da paróquia de Jatiúca, mas, por desígnio de Deus, participei mesmo do retiro espiritual dos seminaristas maiores das dioceses de Garanhus, Pesqueira e Afogados da Ingazeira.
     Meu retiro foi na cidade de Garanhuns que, apesar da época, estava silenciosa, calma e com um clima delicioso. Cinqüenta e cinco jovens, filósofos e teólogos, reuniram-se no bonito prédio do seminário diocesano. Passei com eles três dias, do meio-dia do sábado ao meio-dia da terça-feira. Foram dias inesquecíveis. Rezando, meditando, pensando sobre a vida, sobre a nossa vocação, o nosso ideal, as horas se passaram alegres e ligeiras. Nada nos perturbou e o ambiente foi de paz e alegria.
     Enquanto muitos jovens estavam literalmente mergulhados na bebida, no sexo, na droga, muitos jovens, fortes e sadios de mente e de corpo, durante o carnaval, louvaram o Senhor na busca do ideal, que um dia os tornará mensageiros da paz e do amor.
     Nesse mesmo tempo, na fazenda “Rancho Alegre”, perto de Messias, cinqüenta e seis jovens, de ambos os sexos, seguindo um roteiro e um horário bem estudados, rezavam, brincavam, dançavam e se divertiam com Jesus na mais pura e sadia alegria de cristãos autênticos.
     Ao tempo que lá fora, muitos matavam, roubavam, assaltavam, praticavam ações vergonhosas das quais o arrependimento tardio não curará as péssimas conseqüências, jovens sadios e entusiastas fortificavam a fé e a alimentavam a o desejo e o sonho de viverem como discípulos fiéis e verdadeiros de Jesus.
       Por tudo isso, podemos dizer que, apesar de tudo, ainda há esperança de um mundo melhor.

* É DOUTOR EM TEOLOGIA E VIGÁRIO-GERAL

Copyright  2003 -  Paróquia Divino Espírito Santo - Maceió/AL