| MEUS PAIS SÃO MEU PROBLEMA |

Página Inicial

06/05/04

MONS. PEDRO TEIXEIRA CAVALCANTE *

       

Não sei as vezes que ouvi esta reclamação de jovens, rapazes e moças, que me visitam na gabinete da matriz, onde atendo diariamente os que me procuram para um aconselhamento espiritual.

As variantes desse problema são as mais diversas. Falta de compreensão, falta de diálogo, a droga, especialmente o álcool, carência afetiva, desunião entre os pais. A coisa é tão séria que para muitos jovens sua casa é um inferno e, por isso, eles preferem estar sempre fora de casa .

            As causas desse problema são de duas fontes, a saber, ou vêm do próprio jovem, ou vêm dos pais, isto é, dos dois genitores ou de um deles. Ou seja, o desacordo nasce ou do filho, que se julga independente ou auto-suficiente, ou dos pais que, por um motivo ou por outro, não conseguem manter um relacionamento estável e acordado com seus filhos.

            Para solucionar esse problema, sempre pensei na Sagrada Família. Jesus é Deus, Maria e José, santos, mesmo assim, tiveram muitos problemas. Basta ver o reencontro de Jesus no templo de Jerusalém, quando ele tinha apenas doze anos. Basta ver a cena de Caná da Galiléia, na qual aparece, à primeira vista, que Jesus não tem intenção de realizar o propósito e desejo de sua Mãe. Contudo, foi a família mais feliz e mais unida que já existiu aqui na terra.  

            Onde está a solução? Parece-me que três coisas podem ajudar muito. A primeira é o diálogo. Sem conversa e conversa séria e amiga não pode haver acordo. Vejam que tanto em Jerusalém como em Caná, tudo foi resolvido após um diálogo. A segunda é cada um se colocar no seu lugar, cumprindo seus direitos e deveres. Filho tem que obedecer, compreender e respeitar; pais têm de ordenar, orientar, ajudar, compreender, perdoar. A terceira é a oração. Onde Deus não está, aí nunca haverá paz, alegria e concórdia.


* É DOUTOR EM TEOLOGIA E VIGÁRIO-GERAL

Copyright  2004 -  Paróquia Divino Espírito Santo - Maceió/AL