| Estar bem |

Página Inicial

01/09/02

MONS. PEDRO TEIXEIRA CAVALCANTE *

     Há uma grande diferença entre estar bem e sentir-se bem. Sentir-se bem é uma sensação de bem-estar, de felicidade, de alegria. Estar bem é um estado, que dá paz e tranqüilidade, mas pode estar misturado com sensações e sentimentos desagradáveis. Sentir-se bem pode ser uma sensação passageira, efêmera, momentânea, enquanto que estar bem é algo mais profundo, mais radicado no íntimo da pessoa. Assim, quem está sentindo uma forte dor de dente, não pode estar se sentindo bem, mas pode estar bem, porque está sofrendo a dor por um ideal ou por um motivo superior, que o torna tranqüilo e feliz no fundo da sua alma.
     Em geral, as pessoas se preocupam muito com o sentir-se bem e, por isso, quando algo acontece em suas vidas, que abala ou destrói esses sentimentos de felicidade, vai abaixo todo um castelo construído em areia. É claro que não podemos, nem devemos, evitar as sensações agradáveis e que nos dão um prazer de paz de espírito, todavia não é nessas sensações que devemos levantar as bases da nossa paz espiritual. Por isso, temos necessidade de construir nosso mundo interior, nossas atitudes e nosso comportamento em princípios sérios, fortes, indestrutíveis, seguros e verdadeiros, de tal modo que quando as tempestades rugirem, quando as fraquezas inerentes ao nosso caráter aparecerem, nós estaremos tranqüilos, felizes e em paz. O próprio Jesus nos advertiu que um “homem ajuizado constrói sua casa sobre a rocha. E quando cai a chuva, correm as enxurradas, sopram os ventos que se lançam contra essa casa, ela não desaba, porque está construída sobre a rocha.” (Mt 7,24-25).
     Podemos e devemos procurar sentirmo-nos bem, mas é muito mais importante estarmos bem, porque nada poderá tirar nossa alegria e nossa paz.


É DOUTOR EM TEOLOGIA E VIGÁRIO- GERAL

Copyright  2002 -  Paróquia Divino Espírito Santo - Maceió/AL